EMERGÊNCIA DE POSSIBILIDADES EMANCIPATÓRIAS NO PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO LOCAL NA GUINÉ-BISSAU: CASO DA COOPERARIVA COAJOQ ERÁDIOS COMUNITÁRIOS NA REGIÃO DE CACHEU

Main Article Content

Farã Vaz

Resumo

Resumo: O artigo é parte de dissertação[1] sobre cooperativismo na Guiné-Bissau, tendo como agente colaborador a Cooperativa Agropecuária de Jovens Quadros (Coajoq). Nosso objetivo é apresentar ao leitor como cooperativismo serviu de mecanismo e espaços de emancipação socioeconômica de jovens na região de Cacheu. Para isso, fizemos o uso de perspectiva histórico conceitual do conceito emancipação em diálogo com análise de documentos e entrevista sobre e na Coajoq. A pergunta que nos mobiliza é essa: como as atividades da Coajoq influenciam processos da emancipação socioeconômica nas comunidades da região de Cacheu? Para tanto, considera-se que as ações emancipatórias além de serem diferentes com a noção ocidental, na África, estão carregadas de noção de solidariedade - Ubuntu, em que o coletivo sempre está em jogo de afirmação. Assim, as ações da Coajoq assumem, nesse coletivo, o papel emancipador, na geração de novos saberes e experiências que visam ampliar a liberdade de geração de novas aspirações, utópicas nos jovens e mulheres nas tabancas.


Palavras-chave: Guiné-Bissau. Ubuntu. Cooperativismo. Emancipação.

Article Details

Como Citar
VAZ, Farã. EMERGÊNCIA DE POSSIBILIDADES EMANCIPATÓRIAS NO PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO LOCAL NA GUINÉ-BISSAU: CASO DA COOPERARIVA COAJOQ ERÁDIOS COMUNITÁRIOS NA REGIÃO DE CACHEU. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 13, n. 36, p. 163-188, jul. 2021. ISSN 2177-2770. Disponível em: <https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/1247>. Acesso em: 23 out. 2021.
Seção
Dossiê Temático