RELAÇÕES RACIAIS, UMA QUESTÃO ANTIMANICOMIAL

Main Article Content

Emiliano de Camargo David

Resumo

Partindo do diagnóstico do racismo estrutural no país e da necessidade de assegurar equidade racial na gestão e na atenção em saúde, realizamos uma pesquisa qualitativa, na perspectiva da análise institucional, num Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSij), visando discutir saúde mental e relações raciais. Para tanto, entrevistamos profissionais desse serviço, abordando tais relações em duas dimensões:  cuidado em saúde e gestão do serviço, numa discussão à luz da literatura sobre psicologia e relações raciais. O presente artigo apresenta parte dos resultados da pesquisa: inicialmente, discutimos a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e o Quesito Raça/Cor como importantes ferramentas de reconhecimento e intervenção em relação às iniquidades raciais em saúde/saúde mental; em seguida, apresentamos e  discorremos sobre as entrevistas com o gestor e o agente administrativo do  equipamento público analisado,  as quais focalizaram, respectivamente, os modos como o CAPSij  em questão inclui as relações raciais no seu projeto de trabalho e como aborda a coleta do quesito raça/cor. Concluímos destacando a necessária consideração das relações raciais –  que chamamos de aquilombamento dos serviços de saúde – como uma questão antimanicomial. Assim, consideramos que a descolonização das práticas de cuidado e a inclusão das teorias e dos saberes afro-diaspóricos podem ampliar a potência de um agir em saúde que contribua para a promoção da equidade racial e para a desinstitucionalização do racismo.  

Article Details

Como Citar
DE CAMARGO DAVID, Emiliano. RELAÇÕES RACIAIS, UMA QUESTÃO ANTIMANICOMIAL. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 12, n. Ed. Especi, p. 108-137, out. 2020. ISSN 2177-2770. Disponível em: <https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/1116>. Acesso em: 29 nov. 2020.
Seção
Caderno Temático