RECONHECIMENTO VALORATIVO DO PATRIMÔNIO QUILOMBOLA POR MEIO DO MAPEAMENTO PARTICIPATIVO

Main Article Content

Eduardo Rodrigues Alves

Resumo

O processo de salvaguarda dos territórios quilombolas atualmente dispõe de problemáticas que desafiam sua visibilidade enquanto patrimônios culturais. Diante deste contexto, busca-se compreender o processo de valorização patrimonial dos territórios quilombolas por intermédio da cartografia participativa, sob a perspectiva da geoeducação. A partir da aproximação com a Comunidade de Conceição dos Caetanos, em Tururu-CE, foi possível estabelecer práticas de educação patrimonial e de mapeamento participativo capazes de fundamentar uma análise acerca da relevância desses processos para o autoreconhecimento das comunidades quilombolas. Tal reconhecimento se deu a partir do levantamento de elementos que compõem o patrimônio cultural da Comunidade e da própria percepção do território como um patrimônio cultural em si. Com isso, percebe-se a importância de viabilizar por meio do olhar geográfico e cartográfico estratégias de percepção e valorização das comunidades quilombolas, diante das problemáticas e potencialidades existentes nestes territórios.

Article Details

Como Citar
RODRIGUES ALVES, Eduardo. RECONHECIMENTO VALORATIVO DO PATRIMÔNIO QUILOMBOLA POR MEIO DO MAPEAMENTO PARTICIPATIVO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 12, n. Ed. Especi, p. 153-174, abr. 2020. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/860>. Acesso em: 30 maio 2020.
Seção
Caderno Temático