AS COMISSÕES DE AFERIÇÃO DE AUTODECLARAÇÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA - UFRB

Main Article Content

Maria Goretti da Fonseca Thiala Pereira Lordello Costa

Resumo

A Lei 12.711/2012 implicou numa mudança significativa do perfil dos estudantes das universidades públicas possibilitando o ingresso na educação superior, de pessoas historicamente excluídas de acessarem bens e serviços sociais. Contudo, a autodeclaração como critério exclusivo, possibilitou que pessoas brancas acessassem o ensino superior utilizando-se das cotas raciais para negros. Nesse sentido, fez-se necessário que a UFRB criasse o Comitê de Acompanhamento de Políticas Afirmativas e Acesso à Reserva de Cotas no qual consta a comissão de aferição da autodeclaração - CAAD que realiza o procedimento de heteroidentificação tendo o fenótipo como único critério. Os dados sugerem que as comissões podem ser um excelente instrumento de controle na medida em que impede o acesso de candidatos brancos em cotas raciais, garantindo assim o acesso apenas àqueles que são sujeitos de direitos.

Article Details

Como Citar
FONSECA, Maria Goretti da; COSTA, Thiala Pereira Lordello. AS COMISSÕES DE AFERIÇÃO DE AUTODECLARAÇÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA - UFRB. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. 29, p. 94-114, ago. 2019. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/753>. Acesso em: 11 nov. 2019.
Seção
Dossiê Temático