A ARTE DA CAPOEIRA COMO MARCA DE ANCESTRALIDADE DA CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA: PELA EMERGÊNCIA DE UM CURRÍCULO PLURAL

Main Article Content

Andressa Pinto da Costa Dulce Mari da Silva Voss

Resumo

Esse trabalho apresenta resultados parciais de uma pesquisa na linha das teorias foucaultianas e da análise de discurso acerca das práticas da capoeira. O estudo foi feito com base em depoimentos de sujeitos praticantes, mestres, contra-mestres e instrutores dessa arte. Busca discutir a capoeira na contemporaneidade como uma prática que, ao mesmo tempo, conserva traços da ancestralidade e da história dos povos africanos e incorpora elementos de outras culturas. Defende que a capoeira torna-se uma potente ferramenta de aprendizagem da cultura africana e afro-brasileira, atendendo ao previsto na Lei 10.639/03. Chama a atenção dos/as educadores/as para o lugar que a capoeira pode ocupar nos currículos escolares, como arte que não apenas recupera a herança africana, mas permite a vivência da diversidade cultural.

Article Details

Como Citar
DA COSTA, Andressa Pinto; VOSS, Dulce Mari da Silva. A ARTE DA CAPOEIRA COMO MARCA DE ANCESTRALIDADE DA CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA: PELA EMERGÊNCIA DE UM CURRÍCULO PLURAL. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 10, n. Ed. Especi, p. 770-785, jun. 2018. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/482>. Acesso em: 25 jun. 2018.
Seção
Caderno Temático