A LITERATURA INFANTO-JUVENIL E A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA NEGRA

Main Article Content

Eliã Siméia Martins dos Santos Amorim

Resumo

 Pretende-se discutir a literatura infanto-juvenil e as relações entre emoção-cognição na construção identitária, indicando que tal processo não é algo definido, estático, antes pelo contrário; as nossas formas de nos encontrarmos com nós mesmos se dão ao longo da vida, por processos inconscientes e que se transformam à medida que preenchemos nossas expectativas. Neste sentido, percebe-se que a literatura infanto-juvenil contribui de forma contundente; entretanto a literatura negra ainda não tem a visibilidade e penetração devida nas escolas; contribuindo para que docentes não utilizem este instrumento em seu cotidiano, permitindo que ideologias de branqueamento, exclusão e discriminação perdurem em seu interior através das leituras preconceituosas encontradas em livros infantis de origem europeia e/ou tecidas com visões estereotipadas acerca da negritude e dos valores identitários negros.  

Article Details

Como Citar
AMORIM, Eliã Siméia Martins dos Santos. A LITERATURA INFANTO-JUVENIL E A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA NEGRA. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 6, n. 13, p. 329-350, jun. 2014. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/165>. Acesso em: 06 jul. 2020.
Seção
Artigos